Hack Town é o grande trend: Por que você não pode ficar de fora.

09 de outubro de 2019

É muito complexo compartilhar uma experiência, ainda mais quando se trata de um festival como o Hack Town, por mais que eu conte das palestras que participei, das pessoas que conversei, dos palestrantes inspiradores e dos aprendizados que tive, nada seria suficiente para explicar o que vivi nesses 4 dias. O Hack Town é algo para ser vivido; por isso o meu propósito é fazer uma provocação para que você queira ir comigo para o próximo.

 

Por que ir?

O motivo mais óbvio, porque é no sul de Minas Gerais, em Santa Rita do Sapucaí (SRS). Ao falarmos em Minas lembramos da gastronomia, das cachaças, do doce de leite; lá tem tudo isso, mas muito mais. Em Santa Rita do Sapucaí, eu pude realmente conhecer um ecossistema de inovação, no qual os centros de formação, o poder público, a sociedade e as empresas privadas transpiram inovação e tecnologia, e convergem na mesma direção. A cidade é conhecida como o Vale da Eletrônica no Brasil, é uma cidade de 40 mil habitantes que possui 160 empresas de tecnologia, entre Startups e indústrias, com um faturamento de mais de 3 bilhões no último ano. Encontra-se lá o Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL), uma das instituições de ensino superior de maior reconhecimento mundial na área de tecnologia. Além do INATEL, outras instituições compõem o polo. O poder público fortalece e fomenta iniciativas articulando toda a comunidade, isso criou em SRS uma cidade autossustentável em tecnologia. Quando uma empresa não possui algum material ou até mesmo tecnologia, pode bater na porta ao lado, que a empresa vizinha possui, gerando um sistema que cresce no coletivo. Conhecer a cidade e o ecossistema de inovação, nos faz repensar muitas práticas, torna evidente o quanto o trabalho coletivo em prol de um mesmo objetivo pode produzir resultados exponenciais. A estrutura da INATEL, nos laboratórios e salas de aula estimulam a inovação em cada detalhe, assim é toda a cidade. 

 

A programação

O segundo motivo óbvio, o Hack Town é um festival, com nada menos do que 500 atividades espalhadas em mais de 30 lugares diferentes. Toda essa programação ocorre em 4 dias de evento. Para cada hora são inúmeras opções, escolher é o primeiro desafio com o qual nos deparamos quando vemos a programação. Para cada hora do dia, eu separei pelo menos umas 3 ou 4 palestras que eu queria ver; o exercício seguinte era eliminar algumas até chegar na palestra que eu iria assistir. Para terminar o dia, diversos shows e atrações aconteciam em diversos lugares da cidade. A programação tem uma diversidade de temas muito grande; eu escolhi temas relacionados à gestão de pessoas, carreira, inovação, tecnologia, empreendedorismo, startups e investimentos, os impactos da nova revolução tecnológica, o ser humano exponencial, o mundo 5G, revolução 5.0, criatividade e alimentação. 

 

A revolução 5.0

Foi tema de muitas palestras que eu assisti, o novo contexto para o qual estamos caminhando, a nova revolução tecnológica. A revolução 5.0 vai impactar tão profundamente a humanidade que vamos precisar nos redefinir enquanto humanos; muitas das reflexões estão relacionadas a como nós seres humanos vamos lidar com as mudanças, o que esse novo mundo vai exigir de nós e como vamos lidar com ele. Confesso que estamos longe de estar prontos para as mudanças que estão ocorrendo. A nova revolução já está acontecendo e grande parte da nossa sociedade não está nem percebendo, quando se atentarem para o que está acontecendo ao seu redor, já estarão vivendo em uma realidade completamente diferente e não vão conseguir identificar o que aconteceu. 

 

A internet 5G

O terceiro motivo, além do aprendizado intenso e disruptivo, o Hack Town é uma experiência. Eu pude conhecer a CASA TIM 5G; um ambiente com internet 5G. Ver o que a internet 5G poderá proporcionar é incrível. A realidade, que até pouco tempo, soava como filme de ficção científica, poderá tornar-se concreta. Uma cidade 100% conectada, possibilita que todas as informações sejam compartilhadas em tempo real; o que possibilita o atendimento para um acidente de trânsito em apenas minutos. A internet 5G vai tornar possível a automação completa de plantas industriais, vai tornar realidade os carros autônomos, vai tornar possível que exames médicos sejam feitos remotamente e muito mais coisas. A internet 5G vai acelerar a nossa transformação e a previsão é que em 2020 ela já se torne realidade. Com ela, de fato teremos a possibilidade de automatizar muitas das atividades que executamos hoje; mas o principal propósito dela, é que possamos tornar a nossa vida ainda melhor.

O mais importante dos ambientes que transpiram inovação e tecnologia é que neles eu renovo a minha esperança na humanidade, pois são nesses ambientes que eu identifico uma maior preocupação em tornar a vida do ser humano melhor, em zelar pela vida, pela qualidade, pela saúde e pela felicidade. Nos ambientes de tecnologia, eu vejo uma grande preocupação em tornar o mundo um lugar melhor; é nos ambientes mais tradicionais que eu ouço às críticas a tecnologia e a inovação como algo que vai destruir a humanidade, roubar seus empregos e que as novas gerações são descomprometidas e cheias de “mimimi”. Engraçado isso ... será projeção? Projeção daquilo que sempre foi a prática dos modelos de negócios tradicionais e que hoje se veem obrigados a se reinventar, não só na direção de mais resultados, mas de mais sustentabilidade. 

 

Os desafios na área de gestão de pessoas

O quarto motivo: é incrível poder ouvir pessoas que estão fazendo acontecer dentro das empresas que hoje lideram as mudanças organizacionais e tecnológicas. Confesso que no momento que o Marcelo Nobrega, RH mais Influente da América Latina e Top Voice do Linkedin 2018, Diretor de RH da Arcos Dourados começa a fala dizendo que ele gerencia um time de 54 mil colaboradores, é impactante. Ouvi-lo contar dos desafios de fazer gestão de pessoas no McDonald's, com um time tão grande e perceber que, os desafios que ele enfrenta como diretor de uma empresa mundial, não são diferentes dos desafios que enfrentamos nas empresas familiares que atendemos nas nossas consultorias. Isso mostra que os desafios na área de gestão de pessoas não estão tão relacionados aos tipos ou tamanhos de negócios, mas às questões do ser humano. Os desafios de fazer gestão de pessoas são muito parecidos, pois vivemos em um mundo globalizado e as pessoas e seus dilemas são semelhantes nos diferentes lugares. 

 

A união

Para terminar, no meu quinto motivo, vou compartilhar com vocês o texto dos organizadores do evento publicado na contracapa do caderno de programação: 

“O mundo está acelerado, tudo mudando! As tecnologias se desenvolvendo de forma exponencial, o jeito de fazer negócios, de entender o trabalho, as relações entre as pessoas..., tudo!!! As feridas, os problemas, as contradições históricas que sempre fingimos não ver estão todas escancaradas e clamando a necessidade para irmos além de discursos disruptivos e bonitos. O chamado é para transformação verdadeira e consciente!

Nos últimos anos o ativismo se fortaleceu, cada um encampou suas causas, gritou, argumentou, atuou, fez acontecer de diferentes formas, mas agora chega! Nós do Hack Town, viciados em tendências como somos, entendemos que essa fase já está passando. Como plataforma de transformação, espaço que dá voz para os protagonistas, percebemos que o próximo passo é a UNIÃO. Já ouvimos o que precisava ser dito, já expressamos as nossas dores. Chegou a hora de fazer acontecer somando as diversidades ... todas elas!!!!! A união é o grande trend!!!”

 

Precisa mais motivos? Eu já estou seguindo o Hack Town SRS porque quando as inscrições do próximo ano forem disponibilizadas vou garantir o meu lugar. E você, vamos juntos?

Quer saber mais, confere lá no site: www.hacktown.com.br

 

Lidiane Bertê

Gostaria de conversar com um dos nossos consultores ou especialistas?

Entramos em contato com você, basta deixar uma mensagem ou informar seu telefone!